segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Taralhão-cinzento / Spotted Flycatcher (Muscicapa striata) em Cascais.

Esta ave migradora de passagem Taralhão-cinzento (Muscicapa striata) apareceu na zona do pinhal da Quintas Patinhas perto de Murches.
Observei só um indivíduo a tentar apanhar insetos, saindo do lugar onde estava pousado e depões de apanhar a presa regressa ao mesmo local e assim sucessivamente até que muda de local.
Mais informação sobre esta espécie aqui: http://www.avesdeportugal.info/musstr.html e aqui: http://chegadas.avesdeportugal.info/cheg-musstr.html

Picanço-barreteiro / Woodchat Shrike (Lanius senator) em Cascais.

Foi a primeira vez que observei esta espécie Picanço-barreteiro (Lanius senator) nesta zona da Quinta Patinhas, próximo de Murches, as fotografias não são as melhores a ave estava longe e não permitiu grandes aproximações, desaparecendo por entre o pinhal.
Esta espécie sendo migradora de passagem por esta zona, também o observei na sua passagem para Norte em Abril https://birdingcascais.blogspot.pt/2017/04/picanco-barreteiro-woodchat-shrike.html .
Mais informação sobre esta espécie aqui:http://www.avesdeportugal.info/lansen.html



domingo, 20 de agosto de 2017

Andorinha-dáurica / Red-rumped Swallow (Cecropis daurica) no Bairro do Rosário.

Esta semana apareceram mesmo na rua onde eu moro quatro indivíduos de Andorinha-dáurica (Cecropis daurica), eram três juvenis e um adulto que deve ser um dos progenitores, vieram com muita energia e com muitas vocalizações, pousaram durante uns segundos e seguiram viagem.
Esta andorinha embora pouco conhecida do cidadão comum é uma das mais bonitas que nos visita na Primavera para nidificar, e que por sinal também nidifica no centro de Cascais.

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

O que não acaba no lixo acaba no mar | Gelado



Uma campanha muito interessante pois é necessário sensibilizar o ser humano
para a problemática do lixo no mar, que na realidade começa em terra.

A Nogueira (Juglans regia L.) já com as nozes no centro de Cascais.

Ao passar junto à ribeira dos Mochos chamou-me à atenção uma Nogueira (Juglans regia) já com o fruto bem desenvolvido que é a noz que está protegida por uma casca verde, que mais tarde sai quando o fruto estiver maduro pronto a colher e a comer.
Esta árvore lembra-me a minha juventude quando depões das aulas da escola primária eu e os meu companheiros passávamos por um local onde existiam nogueiras para as apanhar e comer no local.

"Habitat e ecologia: terrenos húmidos e profundos, desenvolvendo-se bem nos calcários, mas suportando também os siliciosos. Dá-se bem até aos 800m, podendo mesmo chegar aos 1500m. Espécie de média luz. Necessita humidade mas sem encharcar; rega moderada a abundante. Suporta grandes variações de temperatura (até -20ºC), mas é sensível às geadas tardias. A árvore produz químicos que, arrastados para o solo pela chuva, inibem o crescimento de outras plantas debaixo da sua copa, nomeadamente macieiras, membros da família Ericaceae, batatas, tomates. Resumindo, não é a melhor árvore de companhia." Fonte : (http://www.florestar.net/nogueira/nogueira.html)

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Juvenil de Pombo-torcaz / Commom Wood Pigeon (Columba palumbus) no Jardim da Casa das Histórias Paula Rego.



Este juvenil de Pombo-torcaz (Columba Palumbus) chamou-me a atenção pois
esta a comer a erva como se fosse um herbívoro no Jardim da Casa das Histórias
Paula Rego.


O Gaio (Garrulus glandiarius) que gosta de figos.

Encontrei este Gaio (Garrulus glandiarius) muito tranquilo e bem camuflado a comer figos.
Esta espécie é omnívora, variando a sua alimentação ao longo do ano dependendo da disponibilidade de alimento de cada época.